TV JORNAL

terça-feira, 5 de agosto de 2014

ELA CORRE VAQUEJADA!!!

Confira a história de Bruna, a vaqueira que da um show nas pistas.

 Da Redação Jornal Cambucá Informa 
 05/08/2014


Foto: Divulgação

Se você está pensando, que é só homem que bota boi no chão, então você ainda não viu nada!
Não é de hoje que as mulheres correm vaquejada, e poucas são as que se aventuram nessa brincadeira que virou esporte. A vaquejada é legitimamente nordestina, e a cada dia está invadindo o Brasil, arrebatando a classe feminina. 
Em um universo repleto por homens, as mulheres também têm o seu espaço conquistado nas vaquejadas. Com as competições aumentando pelo país, cresce também o número de participantes femininas nas grandes vaquejadas.
E em Santa Maria do Cambucá nós encontramos a jovem Bruna Rafaela, que corre vaquejada há aproximadamente dois anos e já ganhou duas corridas na categoria aspirante e diz que não quer parar por aqui não. Ela conta que não sofre nenhum tipo de preconceito, “o pessoal geralmente dúvida da minha capacidade”, mas não me sinto menosprezada por isso. Quando é anunciado que tem mulher na pista, as pessoas vão pra cerca para olhar, já que são poucas as mulheres que correm vaquejada, e principalmente em nossa região.


Bruna diz que treina de duas a três vezes por semana e nunca perde uma boa cavalgada, é assim que ela está se preparando para as grandes vaquejadas, “nunca me machuquei e não tenho dificuldades em montar, porque faço o que gosto, e tenho orgulho disso”.
A destemida mulher de gado monta cavalo desde criança e sempre achou esse esporte bonito, mas relata que os amigos influenciaram muito.
Hoje ela representa o Haras Pegação, que é de seu tio Beto e quando sobe no cavalo é capaz de derrubar um boi que pesa 200 kg ou mais. A diversão dela é correr na vaquejada. Apoiada por sua família e amigos, Bruna diz que só corre com amuleto de Nossa Senhora Aparecida, presente do seu tio Beto e maior incentivador dela na prática do esporte.
É Com muita emoção que a cada competição, Bruna vai escrevendo seu nome nos livros das vaquejadas, “Gosto do que faço e não sei mais viver sem isso”, diz Bruna.
Com força e personalidade ela faz o locutor dizer: Valeu o boi, valeu mulher de gado!!


0 comentários:

Postar um comentário